Banksy convidado para SP

Banksy, o maior grafiteiro do mundo, foi “oficialmente” convidado para vir a São Paulo deixar sua arte. Temos de colocar a palavra “oficialmente” com aspas porque não foi a Prefeitura, muito menos o Governo estadual, a convidar esse que é o artista subversivo de maior fama à nível mundial. A iniciativa partiu da ONG Projeto Sonhar, situada no Capão Redondo.

A chamada foi publicada no jornal Metro, um periódico de grande circulação no Reino Unido: “Banksy, tem uma parede para você”. O anúncio explica a intenção: a Projeto Sonhar procura “toda a atenção que for possível” para dar força a seus projetos solidários. Uma parede pintada por Banksy conseguiria isso na perfeição, graças ao mediatismo do artista britânico.

A ideia partiu de “uns amigos publicitários”, conforme falou a Projeto Sonhar ao Globo. Em colaboração com uma ONG de Inglaterra, a organização está lançando essa campanha de graça, e vai incluir um anúncio em outro jornal e ainda três “outdoors”. Até o momento, Banksy ainda não respondeu.

Banksy: o grafiteiro do capitalismo?

A identidade do famoso grafiteiro continua, até hoje, a não ser conhecida. Famoso desde os anos 90, se distingue por seus temas de crítica social, de caráter subversivo e de contestação política, e também por sua técnica muitíssimo apurada. Suas “pichagens” ficaram progressivamente mais conhecidas no final da década de 90, e o artista virou estrela internacional, tanto capaz de exibir trabalhos de forma oficial em Los Angeles como de pichar o muro que divide Israel dos territórios ocupados da Palestina.

Entretanto, os próprios trabalhos grafiteiro de protesto e combate iam virando peças de arte cada vez mais valiosas. Em 2007, o trabalho “Bombing Middle England” foi vendido por £102,000 (R$500 mil, aos valores atuais); todavia, nem todas as exposições e leilões que se seguiram nos anos seguintes foram autorizados.

Rumores apontam que Banksy poderá ser Robert Del Naja, do Massive Attack, mas estão longe de serem confirmados.