Ministério da Educação Acusado de Plágio

O Ministério da Educação foi acusado de plágio por parte do México, através do jornal mexicano Heraldo de México. Em causa está uma imagem utilizada em uma campanha online destinada a promover o respeito pelos símbolos nacionais, a bandeira e o hino. A imagem mostrava uma guerreira vestida de branco, segurando a bandeira do Brasil e tomando um menino pela mão.

O Heraldo de México comparou a imagem com o quadro “La Patria”, de autoria do pintor mexicano Jesús de la Helguera, em 1942. Quem olhar as duas pode facilmente ver que são a mesma imagem, apenas com a bandeira do México substituída pela do Brasil, e algumas diferenças menores em fundo.

A acusação de plágio, feita pelo periódico mexicano, chegou rapidamente às redes sociais brasileiras e redobrou as críticas que se faziam à proposta do Ministério da Educação.

Jesús de la Helguera

Jesús de la Helguera nasceu em 1910 e passou sua vida fugindo de revoluções e guerras. Aos 7 anos, a sua família emigrou para Espanha, fugindo da revolução que acontecia no México. Brilhante nos estudos acadêmicos de artes, aprendeu diretamente no Museu do Prado, contatando com as obras dos maiores mestres.

Entretanto, com o início da guerra civil espanhola, foi tempo de regressar ao México, agora um país pacificado. Aí continuou a pintar, desenvolvendo juntamente uma carreira como ilustrador comercial, até seu falecimento em 1971.

Polêmica na Educação

Teve diversos aspetos que causaram polêmica na proposta do Ministério da Educação. E nem todos estavam contra o simples fato de cantar o hino – isso acabou por ser o mais consensual. O slogan utilizado foi o mesmo slogan de campanha de Jair Bolsonaro, o que, segundo alguns, pode configurar promoção pessoal de agente público. A sugestão de filmar os meninos cantando o hino também não foi bem aceita, em uma época em que as questões de privacidade e de preservação da identidade são cada vez mais fortes.