Wagener Tema de Concurso em Pernambuco

Estão abertas até o dia 31 de março as inscrições para o Prêmio Eduardo Souza de Artes Visuais 2019, que pretende premiar dois projetos para residentes em Pernambuco. A iniciativa é do Centro Cultural Brasil-Alemanha (CCBA) e o tema de partida é a obra de pintura e desenho de Zacharias Wagener, oficial alemão ao serviço das autoridades holandesas que governavam a Nova Holanda, como era chamado o Brasil holandês no início do século XVII.

Zacharias Wagener

Nascido em 1614 e falecido em 1688, Wagener foi um verdadeiro “nômade digital” de seu tempo. Durante 35 anos, viajou e trabalhou por quatro continentes, só falhando mesmo a Oceania. Um de seus primeiros cargos de administração fez com que passasse sete anos no Recife, onde desenhou e pintou o cotidiano local. Seus quadros refletem uma realidade ao mesmo tempo familiar e distante para um europeu, que não era português nem holandês mas sim alemão. As imagens do comércio de escravos do Recife holandês que Wagener são bastante fortes.

O oficial criou uma espécie de “diário”, com um total de 109 aquarelas sobre a Nova Holanda.

Reflexões sobre os afrodescendentes

As regras do concurso apresentam duas proposições, de acordo com o site JC Online. A primeira é uma apresentação de alternativas ao discurso dominante, do negro enquanto objeto de opressão. Que outras características, narratitivas, experiências podemos atribuir à diáspora africana pelo Brasil e a sua continuada presença no país, independentemente de sua situação social?

A segunda, correndo paralela à primeira e não contra ela, aponta ao “reconhecimento de uma narrativa de violência” e como ela influencia ainda hoje as relações sociais no Brasil, passados que são 130 anos sobre a Lei Áurea.

Pernambucanos, ao trabalho!

A iniciativa é destinada, ainda segundo o JC Online, a “artistas, grupos ou curadores iniciantes”. Ambos os projetos vencedores receberão uma bolsa de R$2500.